O que a Mulher sente na Gravidez Mês a Mês

O que a Mulher sente na Gravidez Mês a Mês

Lá dentro do útero o bebê se desenvolve ao longo dos nove meses de gravidez, passando por mudanças e a cada dia ganhando mais características. Do lado de fora, a mãe passa por uma série de mudanças, o seu corpo se altera, bem como os seus sentimentos.Embora não seja regra as mulheres terem os mesmos sintomas, é possível traçar o que é mais comum durante a gravidez. Para que tudo isso não seja um grande mistério na hora de iniciar a sua gestação, segue o que a mulher experimenta durante a gravidez mês a mês:

Primeiro mês: O mais comum é que nos primeiros dias da gestação, assim como ao longo do primeiro mês, você tenha as mesmas sensações que ocorrem nos dias em que está para menstruar. Ou seja, os seus peitos ficam doloridos, o ventre pesa, o cansaço aumenta e você pode ficar um pouco nervosa.

Esses são também os sintomas que fazem as mulheres perceberem que estão grávidas e a eles soma-se vontade de comer certas coisas ou nojo a outras e o olfato fica mais apurado. As náuseas e vômitos já podem aparecer. O mais frequente é que todos esses sintomas de gravidez sejam piores pela manhã e, ao longo do dia, eles diminuem.

Segundo mês: Você pode ficar com falta de fôlego mais facilmente, além de ter vontade frequente de ir ao banheiro, o que é normal, já que nesse período os seus rins trabalham mais e você pode sentir a pressão do útero sobre a bexiga. As náuseas podem continuar e você pode ter problemas com a digestão e prisão de ventre, além do apetite diminuir e o cansaço aumentar.

Para muitas mães, é quando pode ter “caído a ficha”, ainda mais se a gravidez não foi planejada. A mulher fica mais sensível nesse período e pode ficar muito feliz ou mesmo preocupada com o futuro, além de ser comum ter oscilações de humor. O momento agora é de superar tudo isso e aproveitar esse momento único na vida de uma mulher.

Terceiro mês: Em geral, as mulheres que vinham enjoando muito e vomitando até agora têm esses sintomas diminuídos. Por outro lado, os desejos permanecem e a barriga fica mais redonda aos poucos e os seus traços podem mudar também, em decorrência do acúmulo de água. As oscilações de humor podem continuar.

Quarto mês: Agora, você vai passar por uma fase de estabilidade, pois os sintomas iniciais tendem a desaparecer e se você tinha perdido o apetite, ele volta, mas é preciso cuidar para manter uma dieta equilibrada e não exagerar nas guloseimas, priorizando os alimentos ricos em ácido fólico e ferro. Além disso, você fica ainda mais bonita, com a pele exuberante, os cabelos brilhosos e os tendões e músculos mais flexíveis. É nesse mês que a barriga começa a aparecer.

Quinto mês: A estabilidade de sensações e sentimentos continua, por isso é tido como o mês do bem estar e você deve aproveitar esse momento, pois as dores nas costas ainda não começaram, já que a barriga ainda não está tão grande. Algumas mulheres podem ter alguns desconfortos, como inchaços, varizes, cãibras musculares e até um pouco de dor lombar, porém, é tudo normal, desde que esses desconfortos não sejam excessivos não é necessário se preocupar. Porém, em caso de dúvidas é importante contatar o médico que acompanha a sua gravidez.

Sexto mês: As idas frequentes ao banheiro acompanham toda a gestação, devido ao útero e ao bebê que pressionam cada vez mais sua bexiga, sendo que você agora pode sentir também um pouco de azia, pois o seu estômago se deslocou para cima e para trás. O ganho de peso no quinto mês é comum e é importante se você conseguir praticar alguma atividade física leve, como fazer caminhadas, nadar ou praticar ioga, sem nunca exagerar demais.

Sétimo mês: Nesse período é possível detectar que você já ganhou até 8 kg, a sua pele começa a se esticar sobre a barriga, aumenta a pressão sobre as costas e as dores na coluna. Também é comum você sentir algumas contrações do útero, o que acontece por causa do endurecimento da pele da barriga, resultando em leves puxões. O seu corpo começa a se preparar para o parto e há um afrouxamento do tecido conjuntivo, em especial, na região da bacia.

Oitavo mês: O acompanhamento médico é importante para que você saiba como está posicionado o seu bebê, algumas dessas posições pode, inclusive, prejudicar o parto normal, exigindo uma cesariana. O mais comum é que o bebê se vire nesse período, para facilitar o parto, mas ele pode fazer isso um pouco mais tarde. Já se ele permanecer na posição sentada é mais complicado que ele nasça de forma tradicional.

No caso do bebê se virar, a sua cabeça encaixa na bacia, por onde o útero desce e isso vai fazer com que você respire mais facilmente. Por outro lado, é normal que a mulher sinta uma pressão maior sobre a base da bacia, bem como ter a sensação de que o estômago diminuiu, pois o feto faz pressão contra o diafragma e, por isso, o estômago também trabalha mais lentamente.

Nono mês: Com a aproximação do dia do parto, você pode ter dores lombares e muitos movimentos estarão mais difíceis e limitados. O bebê está ainda mais para baixo e os ligamentos na bacia estão extremamente elásticos. Os sentimentos podem se caracterizar pela volta das mudanças de humor, ou mesmo, você pode ficar mais concentrada e calma. Antes de iniciarem as contrações, pode haver o desprendimento do tampão mucoso ou a perda de líquido amniótico, o que é normal. O mais importante é que você esteja preparada e segura para o dia do parto.

Deixe um Comentário

Nome (Obrigatório)

Email (Obrigatório - não será publicado)

Website

Message (Obrigatório)


Todos os direitos reservados Copyright © EuQueroEngravidar.com.br .